12 novembro 2010

Saúde e unhas bonitas - tudo a ver!

Hoje em dia, com todos os avanços tecnológicos na área da Saúde, estamos acostumados a fazer vários exames quando percebemos que algo não está indo muito bem. Povos antigos não dispunham de toda essa tecnologia. Eles tinham métodos muito mais simples e igualmente eficazes, tanto comprovados que foram adotados por vários dermatologistas. Estou falando da observação das unhas. Elas podem estar querendo te dizer algo.

Saúde das Unhas

Sua unha pode estar dando indícios de alguma disfunção no seu organismo. Por exemplo:

Unhas secas e quebradiças

Pode ser hipotireoidismo e/ou menopausa. Problemas hormonais em geral. Anemia. Falta de cálcio, zinco e vitaminas A, B e E, nutrientes que constituem a unha.


Unhas amareladas

Pode ser tabagismo e diabetes. Indicam também uso crônico de antibióticos, excesso de ingestão de betacarotenos (cenoura, beterraba, mamão...), diabetes, micoses e males do fígado.


Unhas azuladas

Pode ser indício de doenças pulmonares. Indicam também presença de fungos, tumores, lupus eritematoso e uso de medicamentos coagulantes.



Unhas avermelhadas

Podem ser doenças cardiovasculares.


Unhas esbranquiçadas

Podem ser doenças renais ou hepáticas. Também pode indicar presença de fungos.



Unhas com manchas brancas

Pode ser deficiência alimentar (anemia, carência de zinco). Também pode ser dermatite de contato (alergia a detergentes, sabões, esmaltes etc), além de psoríase, micose, intoxicação por metais pesados e insuficiência renal.


Unhas com manchas escuras

Pode ser câncer de pele. Também micose, disfunções hormonais e tumores na matriz ungueal.


Unhas amareladas, espessas e sem crescimento

Distúrbios pulmonares.



Unhas com ondulações, que, no caso das mulheres, ficam aparentes mesmo com duas camadas de esmalte

Geralmente indicam traumas (a espátula de empurrar cutícula é usada com força). E ainda: doença cardíaca ou pulmonar.


Cuidados com as unhas:

  • Evite cortar as unhas até o sabugo e não retire totalmente a cutícula, pois elas oferecem proteção, evitando a entrada de microrganismos invasores;
  • Não use acetona em excesso, para não ressecá-las. Prefira removedor de esmalte;
  • Não deixe as unhas molhadas por muito tempo para não favorecer o surgimento de micoses;
  • Evite andar descalço em pisos úmidos, como saunas e vestiários para evitar micoses;
  • Procure usar luvas quando lavar louça, mexer com água sanitária ou for manusear a terra;
  • Verifique se o alicate da manicure é esterilizado e as lixas, descartáveis.

Esterilização

São raros os salões que dispõem de autoclaves para esterilizar o material utilizado. A maioria faz uso de forninhos por, no máximo, 30 minutos. Esse tipo de esterilização não mata os microrganismos! É só para inglês ver. No caso de esterilização por calor seco (o forninho) a temperatura de esterilização deve ser de 170ºC por cerca de 2 horas. Qual salão realmente faz isso? Portanto, não hesite! Leve sempre um kit com seus instrumentos. Até lixa utilizada por outras pessoas ajuda na proliferação de micoses. Das doenças transmissíveis em manicures, a mais grave é certamente a hepatite B.

Para deixar as unhas fortes e bonitas!

Na maioria das vezes, unhas fracas e quebradiças são causadas pela falta das vitaminas A, C e E e de minerais, como zinco, ferro e cálcio, no organismo. Segundo estudos recentes, uma substância que torna as unhas mais fortes e resistentes é a biotina, também conhecida como B8, encontrada na soja, na aveia, no feijão, no tomate e na gema do ovo.

10 novembro 2010

Ácido + sol = manchas!

Verão está chegando e com ele um sol torrencial! Momento ótimo para dar aquela bronzeada sem esquecer, é claro, do protetor solar para não causar um envelhecimento precoce na sua pele.

Além deste cuidado, é muito importante perceber quais cosméticos você usa antes de entrar debaixo do sol. Muitos esfoliantes e alguns cremes trazem algum ácido em sua formulação. Fique atenta para não aplicá-los na pele e sair ao sol, pois esse produto remove a camada superficial de sua pele e ela fica mais delicada e sensível aos efeitos dos raios ultravioletas . O resultado dessa combinação são as pigmentações excessivas, ou mais conhecidas, manchas! Reserve o uso desses produtos para noite, de preferência, antes de dormir.

Alguns exemplos: ácido salicílico, ác. lático, ácido retinóico.

08 novembro 2010

Antidepressivos - Evolução


Esse post vai ficar um pouquinho grande, mas se você faz uso de antidepressivo ou pensa em fazer, sugiro que o leia. Afinal estamos falando da classe de medicamentos que mais teve aumento de vendas nos últimos 5 anos (algo em torno de 48%). Os antidepressivos são a quarta classe de medicamentos mais vendidos, ficando atrás apenas de antiinflamatórios, analgésicos e contraceptivos, portanto uma das classes mais lucrativas da indústria farmacêutica.

Antigamente, os antidepressivos se resumiam a duas subclasses mais usadas, os inibidores da Monoamina Oxidase (IMAO) e os antidepressivos tricíclicos (ADT).

Resumindo:

Os IMAO são inibidores irreversíveis de uma enzima que degrada monoaminas, como os neurotransmissores serotonina, noradrenalina e dopamina, ou seja, inibia os três ao mesmo tempo. Inibindo essa enzima, mais quantidades do neurotransmissor ficava disponível nas fendas sinápticas por mais tempo. Resultado: a sensação de prazer era aumentada. Por agir nos três receptores simultaneamente, os efeitos colaterais eram extremamente severos. Além disso, quando se fazia uso desse medicamento, era necessário que o paciente restringisse consumo de alguns tipos de alimentos, não podia ser usado por cardiopatas e era bastante hepatotóxico. São exemplos de IMAO: Marsilid, Marplan, Nardil, Eutonyl, Deprenyl e Aurorix.
Os ADT inibem preferencialmente ou receptores de serotonina ou receptores de noradrenalina. Mas ainda assim um pode agir no outro receptor. Exemplos de ADT: Imipramina, Anafranil, Tryptanol e Vivactil.

Atualmente:
Já há algum tempo, os antidepressivos mais usados são inibidores seletivos da recaptação, que pode ser apenas de serotonina, apenas noradrenalina ou ambos. Por que isso é importante? Porque tratará mais especificamente o tipo de depressão do paciente, cpm menores efeitos colaterais.
Exemplos de inibidores seletivos da recaptação de serotonina: Prozac, Aropax, Serenata.
Exemplos de inibidores seletivos da recaptação de noradrenalina: Ludiomil, Prolift.
Exemplo de inibidor da recaptação de ambos: Efexor.

Uma depressão onde há falta de serotonina costuma ter os seguintes sintomas:
  • ansiedade;
  • pânico;
  • fobia;
  • obsessão;
  • compulsão
  • depressão do humor.
Na falta de noradrenalina, os sintomas são:
  • diminuição da concentração;
  • perda da memória;
  • fadiga;
  • depressão do humor;
  • diminuição da atenção.
Você pode olhar esses itens e pensar: "Ai meu Deus, eu tenho todos os sintomas, vou na farmácia agora mesmo". Não é bem assim. É normal você se sentir ansioso(a), devorar uma caixa de chocolate de uma vez só ou estar com uma perda de memória ultimamente, mas isso não quer dizer que você precise fazer uso de antidepressivo. Este normalmente é indicado quando a pessoa apresenta vários desses sintomas simultaneamente (geralmente três ou mais) por um tempo prolongado e não há nenhum indício de reação por parte do paciente. Mas se ainda assim você já está se preparando para ir à Farmácia, lembre-se de consultar um profissional especializado.

Em muitos casos, o uso desse tipo de medicamento não seria necessário. Por exemplo, você sabia que praticar atividade aeróbica (corrida, caminhada, ciclismo) por meia hora, libera quase a mesma quantidade de serotonina que é fornecida por um Prozac? Além disso, aumenta quantidades de noradrenalina e endorfinas no nosso cérebro.

Não se esqueça: Boas risadas substituem qualquer antidepressivo. Por isso, curta mais a vida!



05 novembro 2010

Toxinas ambientais e sua influência na obesidade

Você já fez várias dietas e não teve resultado. Começou a caminhar todo dia e até já se matriculou em uma academia, mas não tem jeito. Parece que aqueles quilinhos a mais e aquele pneuzinho na barriga te amam, não querem ficar longe de você... Pena você não ter o mesmo amor por eles. Talvez você não esteja dando atenção para um ponto que pode ser crucial no processo de emagrecimento. Descubra aqui...

Estudos recentes demonstram que as toxinas ambientais, essas que estão presentes no ar que respiramos, no alimento que comemos e até no medicamento que tomamos, podem estar entre as maiores causas de obesidade no contexto atual, além dos fatores já bem conhecidos, como estresse e má alimentação. O trecho seguinte foi retirado do site Banco de Saúde, escrito por Renato França, nutricionista:

"Hoje em dia, tem-se que a exposição excessiva a toxinas ambientais e uma baixa capacidade de destoxificação são os principais fatores para a resistência na perda de peso. Isso serve para aquelas pessoas que dizem ter uma alimentação saudável, tanto quali quanto quantitativamente, mas não conseguem emagrecer, ou quando emagrecem, recuperam o peso perdido muito rapidamente, gerando o famoso efeito sanfona."

Esse fator ocorre porque, com exceção dos metais pesados, a maioria dos compostos ambientais tóxicos são lipossolúveis, ou seja, têm afinidade por gordura. Desse modo, ao chegar no organismo, eles serão armazenados no tecido adiposo. Lá, as toxinas serão reconhecidas como corpos estranhos e assim o sistema imunológico irá tentar combatê-las e eliminá-las, causando uma inflamação no local. Como todos sabem uma das consequências da inflamação é o edema, ou inchaço, que dificulta o processo de emagrecimento.

Não adianta se desesperar! Estamos em contato com toxinas o tempo todo... Nos alimentos, na forma de agrotóxicos, corantes e pesticidas, nos solventes, nos resíduos de embalagens plásticas em alimentos industrializados, metabólitos de medicamentos ou até em peixes contaminados com chumbo e mercúrio, resíduos despejados nos oceanos diariamente.










Não tem como fugir! Mas algumas atitudes podem ser tomadas a fim de minimizar esse problema.

Uma delas é melhorar o processo de destoxificação do organismo. O que é isso? A capacidade do seu organismo de eliminar substâncias nocivas do corpo. Os dois principais órgãos envolvidos nesse processo são os intestinos e o fígado. Cuidar bem deles é a maneira mais eficaz de minimizar os efeitos dos compostos tóxicos no seu corpo. A seguir algumas medidas simples que você pode tomar no dia-a-dia:
  • preferir o consumo de alimentos orgânicos: esses não são contaminados com compostos tóxicos e diminuem o trabalho do seu organismo;
  • melhorar o trânsito intestinal: tomar bastante água e aumentar o consumo de fibras são medidas importantes a serem tomadas;
  • consumir ban-chá após as refeições: além de excelente antioxidante, melhora a digestão e equilibra o intestino;
  • comer diariamente algum desses alimentos: brócolis, couve, couve-flor, rabanete, agrião, nabo, repolho, rúcula e couve-de-bruxelas (indicação da nutricionista - Drª Gisela Savioli);
  • consumir Boldo-do-Chile quando sentir que seu fígado não está funcionando muito bem;
  • aumentar a ingestão de bioflavonóides (veja o post "Flavonóides"- http://dadosencapsulados.blogspot.com/2010/09/flavonoides.html) e antioxidantes;
  • aumentar consumo de alimentos que contêm enxofre, como o alho, que são excelentes destoxificantes.
Melhorando a capacidade do seu corpo de eliminar substâncias nocivas, além de contribuir com a perda de peso, você terá um melhor funcionamento do seu organismo como um todo, potencializando sistema imunológico, regularizando intestinos e melhorando até mesmo seu humor!

26 outubro 2010

Bukowski

"A comida é boa para os nervos e para o espírito. A coragem vem
do estômago - todo o resto é desespero."

Charles Bukowski
(1920-1994)



Minhas saudações a Bukowski, um cara sábio (à sua maneira...), que me fez refletir sobre alguns conceitos ontem, após assistir um documentário sobre sua vida.
Aqui no blog, deixo uma reflexão para você: a cada refeição, pense por um segundo no que você está colocando para dentro... Você está se fortalecendo e cultivando coragem ou, ao contrário, está acumulando desespero?!

Abraços!

21 outubro 2010

Superbactéria



Após quase um mês sem dar uma passadinha pelo blog (aproveito para pedir desculpas aos leitores fiéis – acredito que eu tenha algum “o_O”), volto para esclarecer um assunto importante, que tem tirado o sono de muita gente: a tal da superbactéria. Antes, vamos desvendar a danada.

A superbactéria é a bem conhecida já dos microbiologistas, Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), uma bactéria gram-negativa na forma de bastonete (figura). O último nome – carbapenemase – significa que ela possui essa enzima, que a torna resistente a muitas drogas, incluindo todas as penicilinas, cefalosporinas, carbapenemas e ao aztreonam. Mas calma, nem tudo está perdido. Existe um antibiótico, conhecido por Tigeciclina que promete tratar a KPC, mas por ser relativamente novo no mercado (apenas 4 anos), ainda não tem comprovação segura de cura, ainda mais se o paciente já apresentar um quadro de pneumonia severa. Esse medicamento não está disponível na rede pública, pelo custo elevado. Ou seja, existe tratamento, não tão seguro (sabe como é medicamento novo no mercado, né?!) para quem já está infectado, mas a prevenção ainda é o melhor remédio.
Sendo assim, como uma boa futura farmacêutica, tenho que mostrar os passos tradicionais de prevenção para não ter a infecção (quem já estiver cansado de ouvir isso, pode pular, eu deixo, só hoje...):

• Lavar as mãos: antes de comer, após usar transportes públicos, antes de levar a mão à boca e/ou aos olhos, etc;
• Não levar a mão à boca e/ou olhos caso esteja em ambiente hospitalar;
• O uso de álcool gel tem se mostrado bastante eficiente;
• Não ingerir alimento de pessoas infectadas;
• Etc.

Para se prevenir, a melhor medida ainda é levantar sua imunidade, não criando dessa forma uma condição favorável para a bactéria se alastrar. Venho novamente falar da importância da alimentação. Mas dessa vez não é só porque esse papo zen me atrai, tenho comprovações científicas! A KPC é uma bactéria que existe no meu e no seu estômago! Surpreendente não?! Pois é, assim ela se torna patogênica através de mutação. Lógico que a antibioticoterapia descontrolada favoreceu essa mutação, porém se o indivíduo tem um estômago fortalecido, a bactéria mutável patogênica não encontra meio para se instalar. Aí você me pergunta: “Mas eu aspirei a bactéria, como meu estômago vai influenciar nisso?!”. A bactéria entrou em você (espero que isso nunca aconteça, mas só exemplificando), ela está no seu pulmão, atinge circulação sanguínea, daí ela pára e pensa “pra onde eu vou agora? Bem, minhas ‘primas’ estão lá no estômago, então lá deve ser um ambiente favorável para mim”. Óbvio que será, pois ela carrega toda a informação genética das primas, apenas teve uma mutação que a deixou mais resistente. Desse modo, a medida preventiva primordial para não contrair a KPC é fortalecer estômago. Aí você me diz novamente, “Tá bom Mariana, agora você ficou louca”! Não gente, isso é Medicina Tradicional Chinesa aplicada à Farmácia (deveria virar uma disciplina isso).

Voltando à questão da imunidade, eu lhe dou uma dica, melhore sua alimentação. Basifique seu estômago, comendo muita verdura orgânica, frutas e tomando ban-chá após as refeições com ameixa umeboshi. Além disso, evite lanches prontos, comida congelada, salgadinhos, açúcar, condimentos como catchup, mostarda etc. pois estes deixam seu organismo muito ácido, o que favorece o hábitat desses microrganismos patogênicos. Além disso, tomando essas medidas você estará “cuidando” das suas bactérias intestinais, que são responsáveis por, entre outras coisas, levantar sua imunidade.

Fica a dica então! Você pode duvidar ou acreditar, pois esses conhecimentos não estão em livros universitários ocidentais, mas posso lhe garantir que seguindo esses passos, pouca ou nenhuma preocupação com doenças você terá em sua vida.

24 setembro 2010

Delícias da vida!



Bom fim-de-semana para vc,
com muitas delícias e tudo o mais que a vida tem de bom para oferecer!

22 setembro 2010

Interações Medicamentosas - uma visão simplificada

Como uma futura farmacêutica muito desconfiada, sempre gostei de dar uma boa olhada nas bulas dos medicamentos que vou tomar. Depois de estudar muito, finalmente consigo entender o que elas dizem, mas sei da dificuldade de alguns, pois são muitos termos técnicos e a maioria das pessoas pula direto para “POSOLOGIA” depois de perder a paciência.

Ao fazer isso, perdemos uma parte importante que são as “INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS”, pois muitos fazem uso de vários medicamentos ao mesmo tempo e saber se um vai interferir no metabolismo do outro é essencial.

É uma área muito extensa, eu não vou conseguir explicar tudo aqui e eu duvido que você teria paciência para ler até o final, mas você já terá dado um grande passo ao descobrir se o medicamento que você está fazendo uso é um inibidor enzimático ou um indutor enzimático. O que isso significa?


Ambos agem na Monoamina Oxidase (MAO), uma enzima presente no organismo que degrada monoaminas. Existem dois subtipos de MAO. Cada um deles tem preferência por um tipo de substância e se encontram em locais específicos. Para simplificar, lhe digo que muitas das substâncias presentes no nosso corpo e outras que ingerimos (como alimentos e medicamentos) são constituídas por monoaminas. Assim sendo, as pobres coitadas percorrem um longo trajeto até alcançar uma dessas enzimas para serem degradadas e eliminadas.

Quando você faz uso de, por exemplo, um medicamento que é constituído por uma amina e um outro medicamento que é um indutor enzimático, este último irá acelerar a atividade da enzima e esta por sua vez irá apressar a ação do primeiro, impedindo que esta ação seja completa. O mesmo ocorre com um inibidor enzimático, mas por vias inversas, ou seja, ao invés de acelerar a enzima, o inibidor vai deixá-la “lentinha” e assim as monoaminas irão acumular no teu corpo e só Deus sabe o mal que isso fará, que pode ser desde uma simples dor de cabeça até uma hemorragia cerebral.

Exemplos de indutores enzimáticos: rifampicina (antibiótico), carbamazepina ou fenitoína (antiepilépticos), barbitúricos (sedativos), glutetimida (calmante), primidona (anticonvulsivante), tabaco (cigarro), dexametasona (corticóide), etanol (álcool etílico), isoniazida (antiepiléptico), omeprazol (antiulceroso) e muitos outros.

Exemplos de inibidores enzimáticos: alopurinol (anti-hiperuricêmico), cloranfenicol (antibiótico), cimetidina (antiulceroso), ciprofloxacino (antibiótico), dextropropoxifeno (opióide), dissulfiram (coadjuvante no tratamento do alcoolismo), eritromicina (antibiótico), fluconazol (antimicótico), fluoxetina (antidepressivo - Prozac), isoniazida (anticonvulsivante), cetoconazol (antifúngico), metronidazol (antiprotozoário), fenilbutazona (antiinflamatório) e verapamil (antiarrítmico) , antidepressivos da classe dos inibidores da MAO, entre outros.

IMPORTANTE

Quando você estiver fazendo uso de um inibidor enzimático (como os antidepressivos), diminua o consumo de produtos com elevada concentração de tiramina (uma amina metabolizada pela MAO), tais como banana, chocolate e queijos curados, pois o acúmulo de tiramina pode causar os efeitos adversos citados acima.

21 setembro 2010

Medicina Tradicional Chinesa


Medicina Tradicional Chinesa, também conhecida por MTC, é uma das práticas mais eficientes que eu já vi. A MTC se fundamenta numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Ela inclui entre seus princípios o estudo da relação yin/yang, da teoria dos cinco elementos e do sistema de circulação da energia pelos meridianos do corpo humano. Além disso, engloba conceitos como "calor de sangue", "deficiência do baço" etc. Você sabia que pessoas que estão com o baço deficiente, comem doces em excesso e pensam demais? Já aconteceu isso com você? Nesse caso, um bom acupunturista iria tonificar seu baço e, quem sabe, te evitar um problemão como uma diabete.
Infelizmente poucas pessoas conhecem e eu gostaria de ter mais tempo para conseguir estudar MTC também (quem sabe quando eu terminar a faculdade...), pois são conceitos com os quais você consegue "trabalhar" qualquer órgão que esteja deficiente, entre muitas outras coisas.
Se você ficou interessado, lhe indico um blog de uma excelente acupunturista/terapeuta que escreve colunas no jornal de sua cidade e as publica no blog. Lá vocês se familiarizarão melhor com tais conceitos. O endereço é:
http://www.snconsultoria.blogspot.com/

Boa leitura!

20 setembro 2010

Mitríades, o veneno e as subdoses


Hoje vou lhes contar uma história que acho muito curiosa, a história do rei Mitríades.
Mitríades reinou em meados do século II a.C., uma época em que era muito comum a prática do envenenamento, já que muitas substâncias químicas estavam sendo descobertas e, como crianças que ganham um brinquedo novo, os militares gostavam de testar esses brinquedos em seus oponentes.
Seu reino havia sido glorioso por muito tempo, mas em 63 a.C., Mitríades já não estava mais "muito bom das pernas" e seu grande medo era ser envenenado. Ciente do perigo que corria, Mitríades fazia uso de provadores de comida, servos que comiam antes do rei para garantir que a comida não estava envenenada. Pois bem, acontece que ele perdeu muitos servos desse modo. Cansado desta situação e sabendo de um perigo maior, Mitríades resolveu tentar algo novo. Começou a ingerir pequenas doses de cada veneno dos mais utilizados na época, sendo uma mistura de 60 venenos em média, pois sabia que com subdoses não iria morrer. Fez isso durante muito tempo, passando a aumentar as doses, pois sabia que assim também sua tolerância iria aumentar. E de fato aumentou. Mitríades após algum tempo tomava doses cavalares de veneno e não sofria mal algum.
Quando seu reino já estava totalmente fragilizado, o mesmo foi invadido e seus inimigos enfiaram veneno goela abaixo em Mitríades mas nada acontecia, pois ele já estava imune àquilo tudo. Se ele foi morto por outro método ou conseguiu fugir desse modo eu já não sei.
Curiosa a história, não é?! Levanta uma questão: até onde o veneno é tão maléfico? Pense nisso. Uma boa semana...

18 setembro 2010

Flavonóides

Com certeza você já ouviu falar que tomar vinho ou suco de uva, em quantidades moderadas, faz bem à saúde, seja pela manhã ou ao final do dia. Acredita-se que os grandes responsáveis por esse benefício são os flavonóides - pequenas moléculas produzidas pelas plantas que, entre tantas funções, protege a mesma dos raios ultravioleta e ainda proporciona coloração e sabor agradáveis dentre muitas outras funções ainda desconhecidas.

Após serem descobertas, essas moléculas tornaram-se alvos de estudo de cientistas e muitos curiosos, que ficaram maravilhados com tantas propriedades benéficas à saúde que apresentavam. Dentre muitas propriedades, estão:

· Antioxidante: possuem quatro mecanismos diferentes para proteger o organismo contra os danos dos radicais livres;

· Hormonal: pessoas que consomem alta quantidade de soja e derivados, ricos em isoflavonas, possuem menor incidência de câncer de colo de útero e ovário e osteoporose;

· Antiinflamatória: inibição da indução de edema em cobaias;

· Antiviral;

· Antitumoral;

· Aumenta tônus capilar: indicação para pessoas com varizes, hemorróidas e hemorragias por diminuir a permeabilidade e a fragilidade capilar;

· Oferece base para aditivos alimentares, como corantes e edulcorantes.

Depois de tantos benefícios você deve estar querendo saber como fazer para tirar proveito de tudo isso. Os flavonóides estão muito bem distribuídos na natureza e são de fácil acesso para todos. Muitos já consomem uma alta quantidade de flavonóides na alimentação, porém quando se deseja um efeito mais intenso (exemplo, uma pessoa que apresenta um quadro de hemorragia repentinamente) deve-se intensificar o consumo, porém tomando cuidado para não exagerar, pois como o grande Paracelsus dizia: “A diferença entre o veneno e o remédio está na dose”.

Altas doses de flavonóides são encontradas nos frutos cítricos (laranja, limão, tangerina), no pericarpo e frutos verdes; também nas folhas de Ginkgo biloba; nas folhas e partes aéreas do maracujá e nas sementes de soja. Para os mais acomodados, sempre existe a possibilidade de ir até uma farmácia de manipulação e pedir para manipular o componente desejado, mas nada compara-se ao efeito do componente in natura e em sinergismo com outros componentes da planta, tal qual é encontrado na natureza.

15 setembro 2010

Luz Ultravioleta


Você já parou para pensar por que a luz ultravioleta emitida pelo sol causa apenas câncer de pele e não outros tipos de câncer?!
Pode reparar, já ouviu falar de alguém que teve câncer no pulmão ou no fígado por ficar tempo demais exposto ao sol? Provavelmente não. Isso acontece porque a luz ultravioleta (UV) tem baixo poder de penetração. E o que isso significa? Significa que ela danifica apenas as células mais superficiais do corpo, como as células epiteliais.

Provavelmente quando você era pequeno, depois de sair do banho, ouvia sua mãe ou avó dizer, "Põe a toalha no varal para matar os bichos". Essa é uma prática correta e até bastante eficiente, mas tem um porém. A luz ultravioleta só tem essa ação esterilizante exatamente na área que está incidindo, ou seja, se você coloca a toalha no varal, depois de algum tempo vai ter que virá-la de modo que o lado de baixo fique exposto à luz solar. Só assim você danificará os microrganismos existentes na mesma.

Quando é aplicado luz ultravioleta sobre um ambiente para esterilizá-lo, estará livre de contaminação apenas as superfícies nas quais a luz está incidindo. Se a luz estiver no teto e tiver uma mesa nesse lugar, a superfície de cima da mesa estará esterilizada, porém embaixo da mesa ainda teremos foco de contaminação. Por isso, fique esperto!

06 setembro 2010

Fibras alimentares


Com certeza você já está cansado de ouvir que ingerir fibras todos os dias é importante para sua saúde. Porém o que não é divulgado é o porquê disso. Entenda um pouco mais...

Fibras são componentes encontrados em verduras, frutas e farinhas não- refinadas e começou a se tornar um assunto muito importante na década de 70 a partir do estudo de dois médicos ingleses, Denis Burkitt e Hugh Trowell, que descobriram que muitas das doenças ocidentais eram decorrentes da dieta carente de fibras.

O nosso organismo é extremamente cuidadoso para não gastar energia além do necessário, portanto tudo o que pode ser reaproveitado, será, inclusive as gorduras. Ao invés de eliminar as gorduras do corpo e produzir novas, ele reabsorve aquelas já existentes no intestino e leva para a circulação sanguínea para compor a bile. Quando ingerimos fibras, elas capturam as gorduras existentes no intestino e as eliminam nas fezes, forçando nosso intestino a capturar as gorduras da dieta para formar a bile. Quando isso não acontece, as gorduras que ingerimos não são utilizadas e formam-se os “pneuzinhos” tão indesejados, além das mais diversas doenças.

O problema é que a nossa cultura alimentar já não é tão generosa conosco, pois tudo o que comemos passa pelo processo de refinação. Por exemplo, na farinha de trigo, o refinamento industrial remove o farelo de trigo do grão e este é composto por 50% de fibra alimentar.

Fibra é uma maravilha para a saúde, mas calma lá também. A fibra deve ser proveniente do próprio alimento que a contém, que possui a proporção fisiológica entre as fibras e os nutrientes. Fibras em excesso podem provocar diarréia ou deficiência de nutrientes, pois as fibras também aderem ao ácido fólico, ferro, cálcio, zinco, fósforo e outros, impedindo sua absorção e eliminando-os nas fezes.

Aqui vale o conhecimento antigo de que a natureza é sábia, ela nos proporciona exatamente o que precisamos e na quantidade que precisamos. Fique atento! Uma boa semana com muitas fibras para você...

03 setembro 2010

Uso de Agrotóxicos

Muita gente reclama que produtos orgânicos são caros e se perguntam, "Por que comprar orgânico?!?!"; apresento aqui uma das muitas respostas. O texto é de Monica Lacombe Camargo, d'aprés O Estado de São Paulo, retirado do blog de Sonia Hirsch:

Campeão mundial de uso de agrotóxicos, o Brasil se tornou nos últimos anos o principal destino de produtos banidos em outros países. Nas lavouras brasileiras são usados pelo menos dez produtos proscritos na União Européia (UE), Estados Unidos e um deles até no Paraguai. A informação é da
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com base em dados das Nações Unidas (ONU) e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Apesar de prevista na legislação, o governo não leva adiante com rapidez a reavaliação desses produtos, etapa indispensável para restringir o uso ou retirá-los do mercado. Desde que, em 2000, foi criado na Anvisa o sistema de avaliação, quatro substâncias foram banidas. Em 2008, nova lista de reavaliação foi feita, mas, por divergências no governo, pressões políticas e ações na Justiça, pouco se avançou.

Até agora, dos 14 produtos que deveriam ser submetidos à avaliação, só houve uma decisão: a cihexatina, empregada na citrocultura, será banida a partir de 2011. Até lá, seu uso é permitido só no Estado de São Paulo.

Enquanto as decisões são proteladas, o uso de agrotóxicos sob suspeita de afetar a saúde aumenta. Um exemplo é o endossulfam, associado a problemas endócrinos. Dados da Secretaria de Comércio Exterior mostram que o País importou 1,84 mil tonelada do produto em 2008. Ano passado, saltou para 2,37 mil t. "Estamos consumindo o lixo que outras nações rejeitam", resume a coordenadora do Sistema Nacional de Informação Tóxico-Farmacológicas da Fundação Oswaldo Cruz, Rosany Bochner.

O coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luís Rangel, admite que produtos banidos em outros países e candidatos à revisão no Brasil têm aumento anormal de consumo entre produtores daqui. Para tentar contê-lo, deve ser editada uma instrução normativa fixando teto para importação de agrotóxicos sob suspeita. O limite seria criado segundo a média de consumo dos últimos anos.


Nitratos, nitritos e câncer

Parece distante, não é?! Substâncias que só se usam em laboratórios científicos e que deve estar bem longe do nosso cotidiano... Pois saiba que não. Elas estão mais próximas do que você pode imaginar. E o que isso interessa pra você?!

Bom, você precisa saber o que realmente está consumindo; por exemplo, sabe aquela cor vermelhinha da carne que você compra embalada no supermercado? Nitrito puro, pois este confere a coloração que te agrada e faz você levar o produto. Além disso, o nitrato também é importante na conserva de carnes, por isso está presente nos seguintes produtos:
• Defumados;
• Conservantes;
• Bacon;
• Soluções picantes utilizadas no presunto, bacon, carnes e queijo;
• etc.




Nitratos e nitritos são agentes desaminantes que têm o potencial de modificar o DNA das suas células, ou seja, cancerígeno, mutagênico e, em algumas referências, teratogênico. Por que eu digo “potencial”? Porque o nitrato por si só não é tóxico para sua célula, quem promove esse processo de toxicidade são as bactérias que habitam o seu intestino. Essas bactérias, utilizando nitroredutases bacterianas, produzem nitrosaminas carcinogênicas.

Ficou complicado? Vou tentar descomplicar. Você possui bactérias normais na sua flora intestinal. Dependendo do que você ingerir na sua alimentação, as bactérias podem se sentir “agredidas” e começar a produzir nitrosaminas a partir de nitratos, que têm a capacidade de iniciar ou promover a formação de um tumor. Essa produção de nitrosaminas é favorecida quando o pH do seu intestino está baixo, o que acontece quando você ingere alimentos muito ácidos. Todas essas porcarias que comemos em fast food e também produtos congelados, balas, corantes e outros, deixam o ambiente intestinal extremamente ácido.

Para nossa surpresa, os vegetais também contêm alto teor de nitratos e isso tem sido uma preocupação para o Ministério da Saúde, pois o uso abusivo de fertilizantes nas plantações aumenta o indício de câncer na população. No caso dos vegetais, isso não é tão preocupante, pois eles não têm a capacidade de diminuir o pH intestinal e portanto não favorecem a formação de produtos carcinogênicos. Porém, se o vegetal apresentar grande quantidade de agrotóxico, essa teoria já não é aplicável, pois o agrotóxico sim é extremamente ácido.

Quanto ao Ministério da Saúde não adianta culpá-lo, pois esse é um assunto que nunca vai receber a devida atenção, já que a saúde não dá lucro a ninguém. Cabe a nós a preocupação com a própria saúde, por isso pense duas vezes antes de encher o carrinho de congelados e defumados e deixar de lado as verduras e frutas (de preferência orgânicas) que irão promover sua saúde dia após dia.

26 agosto 2010

O Fim da era dos Antibióticos

Estava eu lendo um livro muito bom que acabei de comprar e me deparei com um assunto que há algum tempo estou querendo colocar aqui no blog, mas faltava-me inspiração. Faltava, não falta mais. O livro fala sobre o uso indiscriminado de antibióticos que ocorre na Saúde Pública.


Algumas pessoas me questionam e até argumentam contra, quando digo que não gosto de ir a hospitais, mas é uma situação que acaba sendo engraçada (para não dizer trágica). Não importa o que você tenha ou o quadro que você apresente, você vai sair com uma receita com alguns medicamentos, e entre eles sempre terá... Um antibiótico! Está com infecção urinária? Antibiótico. Gripe? Antibiótico. Dor-de-garganta? Antibiótico. Gastrite? Mais antibiótico.

Por incrível que pareça a maioria da população não sabe, mas o antibiótico possui ação contra bactérias, apenas bactérias. Se você está com uma gripe, essa pode ser causada por um vírus e, nesse caso, o antibiótico não ajudará em nada. Pior, agravará o quadro! Eu explico o porquê. Como disse anteriormente, antibiótico mata bactérias. Sendo o seu quadro causado por bactérias ou não, o antibiótico sempre estará matando também as bactérias do seu intestino. Elas constituem a principal linha de defesa contra todos os microrganismos que entram no seu corpo. Por isso que após uma antibioticoterapia, é indicado que o paciente tome Yakult ou qualquer outro repositor bacteriano.

A grande verdade é que em nome de um distúrbio facilmente curável por medidas práticas, promovem-se holocaustos de bactérias benéficas, deixando os intestinos, após um tratamento desses, à mercê de bactérias altamente patogênicas e tóxicas. Um triste exemplo é o do “megacólon tóxico”, infecção grave do intestino grosso causada por Clostridium difficile, após tratamentos antibióticos intensivos, com alta mortalidade.

Quando falo em medidas práticas, refiro-me a uma reeducação alimentar, alcalinização do organismo, limpeza intestinal etc. Por exemplo, esse inverno foi realmente bastante difícil, para onde eu olhava via gente doente, com dor-de-garganta, gripe, mal-disposta, e para mim também costumava ser assim. As coisas mudaram graças a uma pequena alteração que fiz no meu dia: ao acordar comecei a fazer um copo de suco de laranja. Fazer mesmo, não comprar embalado. É simples, rápido e te evita um monte de dor-de-cabeça, pois deixa seu organismo muito forte para combater qualquer invasor patogênico.
É o que eu sempre digo, “muitas vezes a cura é muito mais simples do que imaginamos”. Para quem ficou curioso sobre o nome do livro, aí vai - “Lugar de médico é na cozinha”, do Dr. Alberto Peribanez Gonzales. Sugestivo, não?!


24 agosto 2010

Anti-histamínicos (Dramin)

Quem nunca tomou Dramin na vida?! Seja para o alívio de um enjôo ou até mesmo para conseguir dormir. Mas você sabe o mecanismo por trás da ação do Dramin e por que dá sono?

O Dramin é um anti-histamínico, ou seja, ele inibe a ação da histamina nos tecidos. Histamina é a substância envolvida nos processos alérgicos. Ela é liberada a partir de estímulos como frio, calor, traumatismos (batidas), patógenos entre outros. Esses estímulos provocam a liberação da histamina e assim ocorrem todos aqueles sintomas típicos de alergia: vasodilatação causando calor, rubor, edema (inchaço), aumento de secreções, coceira, dor, inibição de apetite, enjôo e náuseas, aumento da vigília, irritação, aumento da secreção de ácido clorídrico do estômago etc.





O Dramin é um anti-histamínico de primeira geração, ou seja, foi um dos primeiros criados e uma de suas características é ser lipofílico (tem afinidade por gordura e assim, consegue atravessar membrana) e, por isso, tem a capacidade de atingir o sistema nervoso central (SNC). Sendo assim, age exatamente nas regiões responsáveis pela sensação de enjôo e náuseas, inibindo os receptores dos núcleos vestibulares e também o estado de vigília provocado pela histamina, por isso sentimos sono quando tomamos Dramin.

Para não ter esse efeito "sonífero", foram criados os anti-histamínios de segunda geração (Loratadina, Cetirazina, Ebastina), que não agem no SNC pois não conseguem atravessar a barreira hematoencefálica. Esses têm ação principalmente no estômago, diminuindo secreção gástrica e por isso são considerados anti-ulcerosos. Dentre seus efeitos adversos estão impotência, ginecomastia, febre, confusão mental e cefaléia.
O Dramin também possui efeitos adversos, embora poucas pessoas percebam: ressecamento dos olhos, boca seca e retenção urinária; a sedação pode ser considerada efeito adverso, mas também um efeito terapêutico quando se deseja obtê-la.

Uma curiosidade sobre a histamina: assim como várias outras substâncias, a histamina respeita os horários do ciclo circadiano e seu período de maior liberação é pela manhã; por esse motivo, pessoas que sofrem com rinite alérgica têm crises de espirro pela manhã.

Por isso é importante estar atento sobre o real efeito que se deseja obter quando tomamos um medicamento, pois para uma mesma finalidade (exemplo, inibir ação da histamina) podemos ter várias ações (supressão de enjôo, sono, diminuição secreção gástrica etc).

Dados Encapsulados indica...

Receita para um casamento feliz e duradouro:





rsrsrsrsrs.....

Uma ótima semana para todos!

20 agosto 2010

Kefir

Você já ouviu falar? Kefir é uma colônia de diversos microrganismos simbióticos, entre eles leveduras e lactobacilos, conhecido por ser um complemento alimentar probiótico. É uma bebida originária da região do Cáucaso, onde é considerado sagrado, por acreditarem ser um presente de Alá ao povo muçulmano. Por essa razão não pode ser vendido, apenas doado.

Só por essa história já parece bastante interessante, não?! Pois saiba que o kefir possui diversas propriedades medicinais. Ele é conhecido por ser antibacteriano, antifúngico, antiviral, anticancerígeno e antimutagênico. As duas últimas propriedades devido a um polissacarídeo hidrossolúvel formado no seu metabolismo que pode inibir o crescimento de tumores malignos(1). Louco, né?! Essas propriedades “anti...” devem-se à capacidade do kefir de limpar a membrana intestinal, que é o local de maior armazenamento dos microrganismos patogênicos e o principal local de acesso à circulação sanguínea. É ótimo para quem tem constipação intestinal! Você toma e pode ter certeza, não fica nada na barriga, limpa tudo mesmo!

Outra propriedade que poucos conhecem é a basificação do meio. No mundo moderno, onde tudo o que comemos deixa nosso organismo super ácido (incluindo-se lanches, chocolate, agrotóxicos, carne, açúcar...), essa função mostra-se muito útil, pois como já falei em um post anterior a acidificação do organismo deixa o mesmo mais propenso a infecções.

Quanto à aparência são grãos esbranquiçados (figura) que a maioria das pessoas cultiva em leite, porém quem tem alergia ao mesmo (e acreditem isso representa uma GRANDE parte da população) pode cultivar o kefir em água com açúcar, de preferência mascavo.




Essa água deve ser trocada todo dia e “os bichinhos”, como eu gosto de chamá-los devem tomar banho toda semana, senão podem morrer. Ou seja, dar uma lavadinha em uma peneira com água filtrada e depois retornar ao vasilhame de costume.

Como eu disse no começo, eles não são vendidos, por isso não é fácil encontrar kefir por aí, mas ontem eu achei um blog muito legal onde uma moça dá maiores informações sobre os grãos e faz doações!! Dá uma passadinha por lá. O endereço do blog é:

http://kefir-tesouroprobiotico.blogspot.com/.

(1)Shiomi M; Sasaki K; Murofushi M; Aibara K. Antitumor activity in mice of orally administered polysaccharide from Kefir grain. Jpn J Med Sci Biol. 1982 Apr;35(2):75-80.

19 agosto 2010

HDL e LDL


Dando suporte à "Dica da Semana" tem muita gente que tem dúvida sobre "bom colesterol" e "mau colesterol", então vou tentar dar uma explicada básica.

HDL é o "bom colesterol" que, em inglês significa high density lipoprotein, ou seja, um complexo de lipídeos e proteínas de alta densidade que fica circulando pelo sangue e capta gordura quando a encontra (figura). Depois que já está com uma determinada quantidade de gordura, esse complexo vai para o fígado, onde as gorduras serão eliminadas, na forma de bile.
LDL significa low density lipoprotein, e da mesma forma é um complexo de lipídeos e proteínas, só que de baixa densidade e faz o caminho inverso, ou seja, do fígado para o sangue e desse para a célula de vários tecidos. Esse colesterol fica armazenado nas veias e artérias e pode formar as placas de gordura ou ateromas, principal causa de infarto.
Concluindo, enquanto um fica se depositando onde pára e acumulando, o outro faz a "limpeza geral" do organismo.
É isso aí... Espero ter esclarecido um pouco!

18 agosto 2010

Açúcar, pra que te quero!?



Doce veneno! Sim, essa é a grande verdade. Quem consegue viver sem açúcar nos dias de hoje? Pão francês tem açúcar, biscoito cream cracker “integral” também tem, cereais matinais levam açúcar “demerara”, carne defumada também, catchup, pasta de dente, drágeas de vitaminas... Tudo tem açúcar. Por mais dramático que pareça, açúcar é o grande vício do ser humano. E não é de hoje. Começou com as frutas... Algum tempo depois vieram as Grandes Navegações que traziam tecidos, perfumes e especiarias do Oriente, e foi aí que o negócio complicou... Isso porque na Europa não tinha açúcar, era tudo importado do Oriente e custava uma fortuna, de modo que só os nobres podiam comprar. O comércio de açúcar era feito como hoje se comercializa droga! As pessoas ficavam viciadas e queriam cada vez mais, como a cocaína é hoje: uma coisa refinada até mais não poder, que vai direto para o sangue e causa uma série de alterações físicas e mentais no consumidor. Açúcar dá uma certa bobeira mental, cientificamente explicada pelo encontro da insulina com um aminoácido chamado triptofano que é rapidamente convertido em serotonina, um tranqüilizante natural. Não é à toa a mania de dar água com açúcar para quem precisa se acalmar!
Muitos estudos já foram feitos e vários livros escritos com tal tema, dentre os que mais gosto estão “Sugar Blues” de William Dufty e “Sem açúcar Com afeto” da talentosíssima Sonia Hirsch.

Vários males são associados ao consumo excessivo de açúcar:
• corrimento para as mulheres;
• bronquite, asma, rinite alérgica;
• falta de concentração nas crianças ( e nas “nem tão crianças”), manha, alternância de humor;
• aumento na produção de estrogênio, gerando impotência nos homens e intensificando o desejo sexual das mulheres;
• cárie;
• acidez sistêmica... Ambiente perfeito para infecções!

Olha, depois de ler sobre o tema, eu diria que nossa situação é desesperadora! Quem consegue ficar sem o açúcar no cafezinho de todo dia, sem a bala no cinema, sem adoçar o suco de maracujá?!?!?! Poderia discursar muito aqui, mas lhe dou uma dica valiosa que talvez você já saiba: o segredo está no equilíbrio. “Conhece-te a ti mesmo”. Faça algumas alterações, observe, exclua o excesso. O organismo é muito “adaptável”, faça proveito disso!

30 julho 2010

Blog - Introdução


Hoje me vi jogada contra a parede.
Um leitor do blog me perguntou: "Meu, vc tá querendo se suicidar?! Vc é farmacêutica e está falando mal de medicamento? Bateu a cabeça?!". Eu fiquei pensando...

Pensei em criar esse blog quando um professor nos contou um caso interessante em sala de aula:
"Um senhor de 64 anos em São Paulo, que teve hemorragia gastrointestinal e faleceu após iniciar o tratamento com Prexige - antiinflamatório de segunda geração que, quando lançado prometia ser um verdadeiro milagre para quem tivesse que fazer uso crônico de antiinflamatórios, pois não causava efeitos colaterais. O problema é que foram descobrir na avaliação de risco pós-lançamento, que o medicamento não poderia ser tomado por idosos, já que atingia o coração."
Além desse, muitos outros casos semelhantes aparecem no noticiário todos os dias.

Será que a culpa foi dele, que tomou o medicamento por conta própria, sem consultar um profissional adequado? Ou será que as informações não foram passadas devidamente?! Por isso, pensei em criar esse blog, para dar ciência aos interessados sobre as informações que nos são passadas apenas em sala de aula, mas que deveriam ser passadas a todos. Dentre as informações medicamentosas, algumas dicas que visam sempre o bem-estar, pois nem só de Prozacs e Lexotans vive o ser humano!

22 julho 2010

Anticoncepcionais orais



Hoje estava lendo a revista Saúde desse mês e junto com ela, veio um especial sobre pílulas anticoncepcionais. Uma matéria até que bem interessante, explicando de forma muito didática o ciclo menstrual e como agem os contraceptivos hormonais. Porém um fato me chamou a atenção, a postura totalmente favorável dos autores quanto ao uso da pílula anticoncepcional. Dentre muito prós, falavam que, com as pílulas de hoje “os efeito colaterais são mínimos, e as vantagens, diversas (...)” (detalhe – quem citou isso era homem!) e blá-blá-blá! Porém, a história não é bem assim...

As pílulas anticoncepcionais são, em sua maioria, um combinado de hormônios, a progesterona e o estrogênio. O grande vilão na pílula é o estrogênio. É ele o grande responsável pelo aumento dos fatores de coagulação sanguínea em usuárias e conseqüente aumento do risco de trombose. Além de aumentar os fatores de coagulação, ele diminui os fatores anti-coagulantes (já dá pra ver o tamanho da m... né?!), e por isso que aumenta também a incidência de varizes em quem já tem predisposição genética – pra quem não entendeu, o sangue fica mais viscoso, dificultando a circulação e provocando varizes. Esses riscos são ainda maiores entre fumantes.

Se isso não fosse o bastante, o progestagênio (análogo da progesterona) apresenta efeitos androgênicos, como acne e hirsutismo (aumento dos pêlos do corpo – efeito bastante contraceptivo, não?!). Esses efeitos são mais expressivos em algumas mulheres do que em outras, pois existe todo esse efeito androgênico da progesterona mas, ao mesmo tempo, há diminuição do nível de testosterona – hormônio masculino – no sangue da usuária e, por isso, há diminuição da libido (Nossa!! Mais essa?! Pois é...). E ainda existe mulher – e não é pouca – não querendo mais fazer a pausa necessária na cartela para menstruar. Isso eu sou totalmente contra, mas em outro post explico o porquê.

Não podemos esquecer também das alterações metabólicas que ocorrem, principalmente no metabolismo de gorduras e açúcares. Lactantes também não devem tomar pílula combinada; para elas, só minipílulas, que são pílulas que contêm apenas progestina.
Não estou dizendo que pílulas não são boas. Não, pelo contrário, tomei pílula por muito tempo e acho extremamente necessário em alguns momentos da nossa vida para não termos uma surpresinha...



Eu fiquei indignada com a postura totalmente favorável de alguns médicos dizendo ainda, que quase não existem efeitos colaterais. Existem sim, como qualquer outro medicamento, e todos devem saber, principalmente quem faz uso. Passem isso adiante!

17 julho 2010

Cuidados com a aspirina


Sendo o primeiro fármaco sintetizado na história da Farmácia (1899) e mostrando alta eficácia, o uso da aspirina se tornou uma prática muito comum. Ainda que muito contraditório, é um fármaco que se deve usar com extremo cuidado. Aspirina pode ser um excelente analgésico, antitérmico e antiinflamatório, mas tem efeitos adversos bastante graves. Por exemplo, aspirina não pode ser administrada para crianças que tiveram uma infecção viral, mas qual é a primeira coisa que os pais fazem quando a criança começa a apresentar febre e reclamar de dores no corpo??? Dá-lhe Melhoral Infantil. Eu explico o porquê: quando se administra aspirina para uma criança após uma infecção viral, ela pode contrair uma patologia chamada Síndrome de Reye. Essa síndrome acomete principalmente fígado e cérebro, ou seja, a criança apresenta encefalopatia metabólica progressiva (com edema e hipertensão craniana) e insuficiência hepática. Uma bomba!

Outro caso grave, porém mais conhecido, é no caso da Dengue. Aspirina alivia todos os sintomas da dengue só que tem por propriedade ser anticoagulante e às vezes esse efeito é até desejável - como quando se deseja evitar a formação de um trombo (que são placas de ateroma no interior dos vasos sanguíneos)-, porém quando se toma aspirina e contrai dengue novamente, provavelmente a pessoa terá dengue hemorrágica, já que o corpo terá seu processo de coagulação do sangue inibido.
Ainda por essa característica anticoagulante, aspirina não deve ser administrada para gestantes, pois dificultará o trabalho de parto, com risco de hemorragia. Outras contra-indicações são para asmáticos e pessoas com complicações no trato gastrintestinal.
Pois é, um medicamento comum, vendido até em gôndolas sem nenhuma complicação para ser adquirido, pode ter todos esses problemas. É preciso estar atento!

16 julho 2010

Reprimindo suas defesas naturais

Betametasona e dexametasona são substâncias da classe dos corticosteróides, muito conhecidos das mães que têm filhos asmáticos, de pessoas que precisam fazer transplantes e outros. É um medicamento extremamente eficaz, que reduz em grande dimensão as respostas inflamatórias, como dor e inchaço (edema)- queixas mais comuns de quem está com uma inflamação - além de serem imunosupressores e suprimirem também respostas alérgicas. O que poucos sabem é que o uso de corticosteróides tem um efeito gravíssimo que muitos sentirão mais pra frente.
Quando o uso destes começou a ficar indiscriminado, na década de 90, foi feito um estudo para saber quais seriam os efeitos dos corticóides em curto e longo prazo. O que se descobriu foi que esses diminuíam o tamanho do timo de ratos em até metade do tamanho normal em menos de 72 horas. O timo é um órgão diretamente relacionado ao nosso sistema imune, ou seja, pessoas que fazem uso desses medicamentos estão suprimindo a capacidade do corpo de gerar respostas imunológicas quando precisarem.



Efeitos de corticosteróide na glândula do timo de ratos. Um timo normal (à esquerda) comparado com o timo de um rato 48 horas após a injeção de um corticosteróide (5 mg/kg de peso corporal). [De MM Compton e JA Cidlowski, 1992, Trends Endocrinol. Metabol. 3:17]


O timo tem uma involução (de tamanho) natural ao longo da vida, porém o corticosteróide acelera esse processo. Tá certo, esse é o objetivo inicial quando se toma esse medicamento - supressão da resposta imune - porém, esses efeitos podem ser irreversíveis e quando o organismo precisar se defender contra uma bactéria ou vírus ou seja lá o que for, não vai ter sua capacidade normal de resposta. Lógico que quando isso foi descoberto não foi divulgado pois a indústria farmacêutica gera milhões com a venda desses medicamentos todo ano. Ainda assim, esses medicamentos continuam sendo largamente usados em casos de Esclerose Múltipla, para se aliviar os sintomas em uma picada de abelha ou ainda - os casos que mais me angustiam - mães desesperadas que não querem ver o filho se sufocar numa crise de asma e administram beclometasona para a criança para evitar uma possível crise de asma. O problema é que muitas não sabem que estão "bombando" a saúde da criança e acabando com a resposta imune da mesma. É preciso parar para pensar, como no caso da asma: "Quais as possíveis causas dessa asma?". Muitas vezes a asma tem fundo mais emocional do que fisiológico e, nesse caso, o tratamento medicamentoso não é a melhor opção. Em algumas situações é preferível deixar o organismo responder e se defender pois ele sempre sabe o que está fazendo, nós é que não entendemos.
Fora tudo isso, o uso indiscriminado de corticosteróide causa uma síndrome muito séria, chamada "síndrome de Cushing", mas isso vai ser assunto para um próximo post, pois eu já falei mais do que devia neste.

14 julho 2010

Tudo tem um começo...

Hoje está sendo um dia muito especial e, depois de alguns eventos, ainda estou tendo o prazer de finalizá-lo com a criação desse blog...
Um projeto que estava adiando há algum tempo, mas que não pode mais esperar! Espero que seja muito útil e que vcs gostem!!