05 novembro 2010

Toxinas ambientais e sua influência na obesidade

Você já fez várias dietas e não teve resultado. Começou a caminhar todo dia e até já se matriculou em uma academia, mas não tem jeito. Parece que aqueles quilinhos a mais e aquele pneuzinho na barriga te amam, não querem ficar longe de você... Pena você não ter o mesmo amor por eles. Talvez você não esteja dando atenção para um ponto que pode ser crucial no processo de emagrecimento. Descubra aqui...

Estudos recentes demonstram que as toxinas ambientais, essas que estão presentes no ar que respiramos, no alimento que comemos e até no medicamento que tomamos, podem estar entre as maiores causas de obesidade no contexto atual, além dos fatores já bem conhecidos, como estresse e má alimentação. O trecho seguinte foi retirado do site Banco de Saúde, escrito por Renato França, nutricionista:

"Hoje em dia, tem-se que a exposição excessiva a toxinas ambientais e uma baixa capacidade de destoxificação são os principais fatores para a resistência na perda de peso. Isso serve para aquelas pessoas que dizem ter uma alimentação saudável, tanto quali quanto quantitativamente, mas não conseguem emagrecer, ou quando emagrecem, recuperam o peso perdido muito rapidamente, gerando o famoso efeito sanfona."

Esse fator ocorre porque, com exceção dos metais pesados, a maioria dos compostos ambientais tóxicos são lipossolúveis, ou seja, têm afinidade por gordura. Desse modo, ao chegar no organismo, eles serão armazenados no tecido adiposo. Lá, as toxinas serão reconhecidas como corpos estranhos e assim o sistema imunológico irá tentar combatê-las e eliminá-las, causando uma inflamação no local. Como todos sabem uma das consequências da inflamação é o edema, ou inchaço, que dificulta o processo de emagrecimento.

Não adianta se desesperar! Estamos em contato com toxinas o tempo todo... Nos alimentos, na forma de agrotóxicos, corantes e pesticidas, nos solventes, nos resíduos de embalagens plásticas em alimentos industrializados, metabólitos de medicamentos ou até em peixes contaminados com chumbo e mercúrio, resíduos despejados nos oceanos diariamente.










Não tem como fugir! Mas algumas atitudes podem ser tomadas a fim de minimizar esse problema.

Uma delas é melhorar o processo de destoxificação do organismo. O que é isso? A capacidade do seu organismo de eliminar substâncias nocivas do corpo. Os dois principais órgãos envolvidos nesse processo são os intestinos e o fígado. Cuidar bem deles é a maneira mais eficaz de minimizar os efeitos dos compostos tóxicos no seu corpo. A seguir algumas medidas simples que você pode tomar no dia-a-dia:
  • preferir o consumo de alimentos orgânicos: esses não são contaminados com compostos tóxicos e diminuem o trabalho do seu organismo;
  • melhorar o trânsito intestinal: tomar bastante água e aumentar o consumo de fibras são medidas importantes a serem tomadas;
  • consumir ban-chá após as refeições: além de excelente antioxidante, melhora a digestão e equilibra o intestino;
  • comer diariamente algum desses alimentos: brócolis, couve, couve-flor, rabanete, agrião, nabo, repolho, rúcula e couve-de-bruxelas (indicação da nutricionista - Drª Gisela Savioli);
  • consumir Boldo-do-Chile quando sentir que seu fígado não está funcionando muito bem;
  • aumentar a ingestão de bioflavonóides (veja o post "Flavonóides"- http://dadosencapsulados.blogspot.com/2010/09/flavonoides.html) e antioxidantes;
  • aumentar consumo de alimentos que contêm enxofre, como o alho, que são excelentes destoxificantes.
Melhorando a capacidade do seu corpo de eliminar substâncias nocivas, além de contribuir com a perda de peso, você terá um melhor funcionamento do seu organismo como um todo, potencializando sistema imunológico, regularizando intestinos e melhorando até mesmo seu humor!

4 comentários:

Lucas disse...

Então... onde eu consigo um boldo-do-chicle? rs
se bem q ultimamente tenho q ganhar e não perder peso! rsrs

é sempre ótimo ler seu blog, linda!
:)

bjo

marianadias disse...

Oi Lucas,

Boldo-do-chile você encontra em qualquer supermercado e até mesmo em algumas farmácias.

Obrigada!
Abração!

Quitutes.com - Versão Blog disse...

"consumir Boldo-do-Chile quando sentir que seu fígado não está funcionando muito bem"... Gostei dessa dica!

Marcelo Negrão disse...

Efeito sanfona é dureza...bem lembrado, vou voltar a tomar esses chás para ver se dou uma filtrada básica...Valeu a dica...Bjs